convite

convite

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Trem das Estradas de Ferro- Agmon Carlos Rosa


TREM DAS ESTRADAS DE FERRO!!! (pag. 125 do meu

 livro "LIRISMO ACADÊMICO" ) "... rabeiras de caminhão 

que peguei, carrinhos de rolemã que rodei, até em dorsos de

 cavalo montei, mas, meu coração de menino, se apaixonou 

pelo trem..."

                                                          Agmon Carlos Rosa





sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Pedaço do Céu- Marilza Pereira Calsavara


Esse amor transfigurado,
Com gosto de pecado,
É um pedaço do céu,
Como um tênue véu,
Envolvendo sonhos não sonhados,
Que como pássaros alados,
Voam sem direção definida,
Porque assim é a vida,
De azul colorida,
Como um pedaço de céu.

Marilza\Pereira Calsavara


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Primavera -Eunice Rodrigues de Pontes


Foto by Rosana M Cappi  (Primavera em Salzburg - Abril de 2014)
Primavera, singeleza de cores

em flores desabrochando.
Beleza infinita do Criador,
natureza exuberante, sobrepujante.
Primavera, quem me dera poder
ser simples assim, sem afetação
nem galardão; há sempre tanta
beleza em toda sua pureza.
Primavera, estação bela, festiva,
repleta de alegria, agradável aos
olhos e ao coração; tudo fica mais
radiante, cheio de vida, esfuziante.
Primavera é igual ao amor: incontida,
enfeita o mundo; cheia de bonança
torna tudo mais bonito; faz brotar 
a esperança e renascer a vida.
Eunice Rodrigues de Pontes

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Rubem Alves - Miriam de Carvalho Miatto


O anjo libertador levou seu corpo desta vida.
Você foi meu mestre, muito aprendi lendo suas crônicas e histórias no jornal e nos livros.
Você pintou com palavras as belezas, o amor, as alegrias da vida.
Hoje você vive nas balezas dos ipês amarelos, no alaranjado do crepúsculo, nas belas cores dos vitrais, na alegria das crianças, no orvalho que brilha nos pés de couve, nas músicas clássicas de Bach, Vivaldi, César Frank, que tanto amava.
No meu quarto de badulaques, nas folhas de jornais amarelados que guardei, procuro os seus quartos de badulaques; mas lendo-os sinto que não é preciso, pois tudo que li já mora em mim.
Abri a porta do meu "jardim secreto", hoje ele não é mais secreto, está mais florido, nele reservei um espaço para você.
Aprendi um pouco do que deixou nos livros, ainda quero aprender muito mais.
Rubem, nunca te vi, mas sempre te amei. Nos momento de solidões e inseguranças suas palavras eram minhas amigas e me fortaleciam.
Agora que virou de novo menino venha brincar em meu jardim, ele espera por você.

Autora: Míriam Brasilino de Carvalho Miatto

Minha singela homenagem ao escritor que mais admiro
Miriam B.C Miatto