quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Breve Histórico da Casa do Poeta de Campinas


Homenagem a João Baptista Muniz Ribeiro ( Presidente de Honra Perpétuo)

Casa do Poeta de Campinas, idealizada por João Baptista Muniz Ribeiro (presidente de honra perpétuo), foi fundada em 20/10/1996 por poetas consagrados e ícones da cultura campineira, entre eles: Conceição Arruda Toledo; F. Vidal Ramos; João Baptista Muniz Ribeiro; Durval Otero; Norma Guimarães; Arita Damasceno Pettená; Enid B. Pires; Laís R. de Lima e Sérgio Caponi.




A Casa do Poeta de Campinas, cuja finalidade é divulgar a poesia e incentivar novos poetas, completa 18 anos de existência, realizando saraus que certamente tem enriquecido a cultura de nossa cidade.

Inicialmente os saraus eram realizados na sede da ACI (Associação Campineira de Imprensa), posteriormente na sede da Casa da Banda e ultimamente na Academia Campinense de Letras.

Casa do Poeta de Campinas  publicou seis Antologias "A Voz da Inspiração", com a participação de poetas, cronistas e artistas plásticos. A 1ª Antologia, organizada pelo Dr. Durval Otero, poeta, advogado, professor, sociólogo e na época presidente da Casa do Poeta, foi publicada em 2003 pela Editora Átomo e a última, lançada em abril deste ano no sarau realizado na Academia Campinense de Letras.




Nesta cerimônia comemoramos portanto, o aniversário da Casa do Poeta e também a posse de sua nova diretoria, aqui presente.


José Luiz Pires ( assumindo a presidência da Casa do Poeta em 18/10/2014)




Diretoria:
Presidente                        José Luiz Pires
Vice-presidente                 Rosana Montero Cappi
Cerimonial                         Sara Valadares
Departamento Artístico     Célia Paulino
Departamento Cultural      Rachel dos Santos Dias
Departamento social         Marilza Pereira Calsavara
                                          Eunice Rodrigues Pontes
Tesouraria                         Araci Aparecida Finotelli Pires
Divulgação                        Tércio Sthal 


O blog da Casa do Poeta de Campinas é: www.casadopoetacampinas.blogspot.com, o qual convidamos a todos para acessar, conhecer e também participar.

Eunice Rodrigues de Pontes ( leitura do histórico no sarau de 18/10/2014) 


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Sarau de Aniversário e Posse da Nova Diretoria da Casa do Poeta de Campinas - 18/10/2014 na sede do ICCT- Instituto Campineiro dos Cegos Trabalhadores

Salão Nobre do ICCT

Sara Valadares ( Cerimonial)

Discurso do Presidente José Luiz Pires


Palavras da Vice Presidente Rosana Montero Cappi

Composição da mesa: Presidente do ICCT Vicente de Paulo Montero
Presidente da Academia de Letras das Forças Armadas Capitão  Ronad Santiago
Presidente da Casa do Poeta José Luiz Pires,
Presidente do Clube dos 21 Irmãos Amigos Adacir de Carvalho Zini
e a Vice Presidente da Casa do Poeta Rosana Montero Cappi   

A diretora Eunice Rodrigues de Pontes leu um breve histórico da Casa do Poeta

Apresentação dos Poetas e Declamadores 
Augusta Rosa

Mirlene declamou seu poema "As Cores"
Marilza Calsavara

Keler declamou poemas de Olavo Bilac
José Marcos de Lima  ( declamação de texto e música de sua autoria)


Araci Finottelli Pires

Eunice Rodrigues de Pontes

Célia  leu  poemas em braille





Sara Valadares homenageia Geni Dagnoni

Rachel dos Santos Dias 



José Marcos de Lima e Jaci  Rodrigues de Menezes

Raquel dos Santos Dias e a animada platéia 






Jaci Rodrigues de Menezes fez homenagem à Casa do Poeta

Rosilene Montero Cúrcio 

José Luis Pires


Capitão Ronald Santiago







                                   Confraternização no Refeitório





PARABÉNS!!!!! CASA DO POETA DE CAMPINAS 











Nossos Agradecimentos ao ICCT,  por ter acolhido a Casa do Poeta de Campinas.



segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Chuva Abençoada - Rachel dos Santos Dias


Como é bom encostar o nariz na vidraça
E olhar a chuva que em enxurrada passa...
Escutar o barulho dela no telhado
E o capim brilhando desse pingo gelado...

Ver as casas de formas imprecisas, cinzentas,
Sob o efeito das gotas céleres ou lentas...
E o muro cheio de limo, quieto, misterioso,
Molhado, velho e eternamente ocioso...

É bom brincar com a goteira da calha
Que escorre fria e no chão se espalha...
E a água a escorrer no lamaçal da estrada...

Chuva! Chuva miúda, sonora, constante,
A molhar tudo, a molhar o passante
Que apressado busca calor!
Ah! Chuva molhada!

                      Poema publicado na Antologia do ICCT
      "80 Anos Trabalhando para Diminuir Diferenças"
                                      Maio/2014 



Rachel dos Santos Dias \




sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Trem das Estradas de Ferro- Agmon Carlos Rosa


TREM DAS ESTRADAS DE FERRO!!! (pag. 125 do meu

 livro "LIRISMO ACADÊMICO" ) "... rabeiras de caminhão 

que peguei, carrinhos de rolemã que rodei, até em dorsos de

 cavalo montei, mas, meu coração de menino, se apaixonou 

pelo trem..."

                                                          Agmon Carlos Rosa