quinta-feira, 14 de julho de 2016

Caminhos da Mata - Marilza Pereira Calsavara



 Verdes matas que se espalham,
Com a copa brilhante das árvores,
Sob os luminosos raios solares,
O pássaro voa...
O seu canto ecoa...
Pés descalços caminham suaves...
Cristais translúcidos forram o chão,
Com os sonhos neles escondidos,
Que o brilho do amanhecer liberta.

Marilza Pereira Calsavara ( MDLUZ)

                      

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Água e Brisa - José Luiz Pires



É!
Onde não existe conversa
O silêncio desconversa...
Quando os lábios se encontram
O sorriso vem pelo toque...

É só!
Solidão é lodo no leito do rio,
Água que não move frustrações!
Coberta que não aquece,
Espinho no fundo do ninho!

É sol!
Teu corpo molhado de suor...

Sentimentos totalmente colados!
Uma parte dentro de ti...
Água que banhou e carregou recordações!

É solidão!

Desativado o arsenal bélico,
Carrega apenas um trapo,
Pedaço de pano branco
Que balouça frenético,
Com leve brisa de saudade!...


  
Poeta Semeador
José Luiz Pires

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Água doce, doce vida - Eunice Rodrigues de Pontes




      
Água, o manancial da vida, toda pureza
cristalina de uma fonte a borbulhar,
vem saciando e aplacando a sede constante.
Água, bendita, purifica no sagrado
ritual do nascer, espargindo beleza,
fazendo-nos chegar quase a levitar.

Água, essencial para todos os seres viventes,
nas pujantes correntes a transbordar;
torrente de benesse, dádiva divina
da natureza propícia e presente.
Límpida, brotava e jorrava abundante;
hoje, poluída, fenece na nascente.

Água, condição necessária, imprescindível
para que haja doce vida fecundante.
Água, em torno da qual povos primitivos
procuravam habitações edificar,
como os egípcios ao redor do fértil Nilo,
conscientes de que não poderia faltar.

Água, que da vida traz a força perdida
na lida tão incontida de cada dia.
Água, sua existência a Terra permeia,
energia benfazeja, abençoada seja;
divina fonte, borbotão vivificante.
Água, permanente seja, a revigorar!

              Eunice Rodrigues de Pontes


                                                            Eunice Rodrigues de Pontes

sábado, 7 de maio de 2016

Mãe - Marilza Pereira Calsavara ( MDLUZ)




Mãe nos carrega no ventre,
Sente a vida dentro dela,
Nossos movimentos crescendo,
Desconfortos provocando,
Mesmo assim espera silente,
O doce momento...
Em que estivermos em seus braços.

Acalentando-nos em seus seios,
O alimento perfeito recebemos,
Junto dele vem o amor incondicional,
A força de um sentimento,
Que só brota do amor de mãe,
Que sente os nossos lamentos,
E nos aconchega em seus braços maternos.

Mãe, laços eternos nos une,
Nenhum desacerto nos desune,
Porque aquele que tenta anular esse amor,
Não tem força suficiente,
Para esse efeito maldoso conseguir,
Porque o amor materno,
Foi criado por Deus que governa o Universo.

MARILZA PEREIRA CALSAVARA
MDLUZ



sábado, 30 de abril de 2016

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Homenagem Póstuma à Carmem Pimentel

                                           
                      Carmem Pimentel - Escritora e Poetisa - falecida em 20/04/2016


QUEM SOU EU"
Presas em meu corpo existem muitas mulheres
Algumas são lindas, exuberantes
Outras malvadas, nem virgens, nem santas.
Moram juntas com os meus fantasmas
Atormentando-me a todo instante.
Na minha alma elas se reúnem
Formando um contraste imenso...
Eu nasci para uma vida mansa
De coisas possíveis recheadas de alegrias
De perfume das brizas trazidas pelos ventos.
Os anos se fazem presente em meu destino.
Pelas calçadas pisadas de meu caminho
Caminho entre o bem e o mal.
Nas horas amargas, cheias de cansaços
Estes olhos chorosos molham a luz do dia
Enlouquecem nas ventanias
Misturam-se na minha agonia.
Quem sou eu que mudo tanto?
Sou mulher, sou rio, sou mata
Uma louca que a chorar desata
Nas noites caladas e difusas.
Quem sou eu? O mais provável
Apenas uma mulher confusa
Que se parte em mil pedaços
Como um cristal irrecuperável...

Carmem Pimentel



CARMEM PIMENTEL, Discreta e sempre elegante,
talentosa e charmosa, multiwoman, promoter
das letras e das artes premiadissima. Campineira
de coração. Escritora e poetisa modernista.
Foi membro da área de literatura do Conselho
Municipal de Cultura. Diretora da Associação
Brasileira Carlos Gomes de Artistas Liricos-ABAL,
Presidente do CPAC de 1995 a 2007. Participou
de trinta coletâneas poéticas, publicou dois
romances: "Anjo de Mármore" (1996) e "Maison
Delliz, glamour, verdades e mentiras" (2009)

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Fotos Sarau de Abril (16/04/2016)

 Sara Valadares recebendo Vicente Montero e Reinaldo Cúrcio para apresentação de canto e piano



 Linda apresentação  do tenor Vicente Montero, acompanhado ao piano por Reinaldo Cúrcio

                                                  Célia Paulino expôs suas esculturas

  Doação de escultura de Santa Luzia ao ICCT - Instituto Camp. dos Cegos Trabalhadores, entregue a Vicente Montero - Presidente da Instituição, que gentilmente tem cedido espaço para os Saraus.

                               
                                                     Apresentação dos Poetas



Aline Romariz - Presidente da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro     ANLPPB


                                                         Vânia Figueiredo



     Aline Romariz convida oficialmente  Vivente Montero para gravar o Hino Oficial da ANLPPB e comunica que o hino composto por Rosana Montero Cappi, 2º colocado no concurso do hino também será gravado. Momento muito especial, emocionante e feliz.

 Vicente Montero e Rosana M. Cappi ( vice-presidente da Casa do Poeta de Campinas e editora deste blog).


                                                             Marilza  Calsavara

                                                          Rachel dos Santos Dias



                                             Sara Valadares - Apresentadora do Sarau

                                                   Os violeiros Jaci e Elzo


                                                         Sebastião  Brandão     


                                     Rachel dos Santos Dias lendo poema de Lu Narbot ( diretora da ANLPPB)


                                                              Tércio Sthal


                                                  Araci F. Pires

                          José Luiz Pires - Presidente da Casa do Poeta de Campinas e Aline Romariz 

                                                        Rosana Montero Cappi


                                                      Dilce Toledo Nery


                                                     O barítono Carlos Henrique - da ABAL

                                                                         JACI


                                                             Leninha Ramirez  e Reinaldo Cúrcio


                         Fashes   
                           Antes do Sarau começar Rachel dos Santos Dias arrasou no piano