convite sarau de agosto

convite sarau de agosto

domingo, 27 de dezembro de 2009

DEZEMBRO - 2009 - J.L.PIRES

JOSÉ  LUIZ  PIRES

CAMA  VAZIA

Hoje acordei com saudade de você
Senti o lençol gelado
E um vazio ao meu lado
Bem que poderia estar comigo.
Sentir o meu calor
E eu o seu suor
Quando a Primavera florescer
Vamos brincar e fazer amor.
Se você novamente não aparecer
O que serão das minhas alvoradas
Do amor que juravas ser só meu
Paixão que se perdeu.
Amor que me esqueceu
Hoje não mais sonho airoso
Lembrando-me do seu jeitinho charmoso.

sábado, 19 de dezembro de 2009

DEZEMBRO - 2009 - ENTREGA DA IV COLETÂNEA

               19 de DEZEMBRO, entrega da Coletânea  IV na Academia Campinense de Letras
                                     

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

NOVEMBRO - 2009 - J.B.M.RIBEIRO

JOÃO  BAPTISTA  MUNIZ  RIBEIRO

Q U E R O

Quero paz, quero amor, quero ternura,
Quero tudo isso e muitas coisas mais...
E, em grande quantidade, com fartura,
A fé que existe em muitos dos mortais.
      Quero entender o mundo e seus fanais,
      Trocar minha ignorância por cultura,
      Ter n'alma a rutilância dos cristais,
      E um coração repleto de brandura.
Não é por mim que peço tanto e tanto,
É pelo irmão que sofre em cada canto,
As agonias sem saber pedir.
      Eu peço tanto, embora tudo tenha,
      Na espera ardente de que, enfim, me venha
      O sagrado momento de servir !

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

OUTUBRO - 2009 - J.L.PIRES

JOSÉ  LUIZ  PIRES

EMANUEL

Todos os dias bem cedo levanto
Madrugada ainda e sigo o Caminho
Estrelas saindo o sol vêm surgindo
Enchendo de luz o meu coração
      As aves cantando a roseira exalando
      Madrugada ainda e sigo o Caminho
      Num raio de luz Sua face reluz
      Caminhando sigo com meu Jesus
Nas manhãs e nas tardes eu faço oração
Enchendo de paz o meu coração
A fé renasce no meu protetor
Louvando sigo meu Salvador
      Clamo a Deus a todo instante
      Olhando na face do meu semelhante
      Que entre os povos haja união e comunhão
      Louvando ao Senhor com devoção
Na noite repouso o corpo cansado
Madrugada vem vindo e sonho o Caminho
Que meu Protetor alivie essa dor
Sonhando sigo com meu Salvador.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

SETEMBRO - 2009 - JOSÉ ROBERTO

JOSÉ  ROBERTO  TEIXEIRA

QUEM  SABE  UM  DIA...

Nos caminhos infindos da poesia
sempre tenho o que falar e o que contar.
Eu alimento minha alma com alegria,
o que passou, passou, não vai voltar.
    Nem sempre o que vivi foi coisa boa
    mas marcou profundamente o meu viver.
    Por isso é que me encontro rindo a toa
    dos banais problemas que me fez sofrer.
Saudades eu sinto, era feliz e não sabia.
Na pura inocência e sem maldade,
quando voltar a ser feliz, quem sabe um dia,
encontrarei a real felicidade.

sábado, 5 de setembro de 2009

SETEMBRO - 2009 - MARLENE

MARLENE  MARIA  GOMES

O  INVISÍVEL

Ah ! Se eu pudesse contar quantas vezes pensei em você
Quantas vezes fiquei em seus braços sem você saber
Quantas vezes chorei
Quantas vezes pronunciei seu nome
Compara-se à areia do mar
É imposível contar
É como os pingos da chuva
É imposível contar
É como as estrelas
É imposível contar
É como o bater de meu coração
Quantas vezes bateu por você !
É como suspirar não sei
Quantas vezes suspirei por você
Isso tudo se resume em amar
Porque amei somente você.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

AGOSTO - 2009 - ARITA

ARITA  DAMASCENO  PETTENÁ

QUANDO  TEUS  OLHOS  ME  FITAM

Quando teus olhos fitam os meus,
na amplidão dos meus desejos,
sinto o toque de teus dedos,
percorrendo o corpo meu.
- Sou tua ! Sou tua !
Grito, entre medrosa e tímida,
enquanto teus braços me enlaçam
em arroubos de ternura,
murmurando aos meus ouvidos :
- Te amo ! Te amo !
Quero-te por inteiro.
Lá fora, entre nuvens peregrinas,
uma lua muito atrevida,
como única testemunha,
a iluminar, entre árvores sem dono,
o espetáculo de amor entre nós dois.
E eu coro, feito ingênua menina,
tentando esconder a nudez dentro da mulher-felina,
que há de existir sempre dentro de mim,
sonhando com o homem de olhos verdes,
que a arrebata do mundo da hipocrisia
para torná-la, para sempre,
senhora das suas horas, do seu agora,
que a hora, mais que nunca,
vai acertando os seus ponteiros
para torná-la, não a escrava
dos caprichos do seu homem
mas a poeta que sonha, dia e noite,
com o seu Menino Grande.

domingo, 9 de agosto de 2009

AGOSTO - 2009

                                                                   NOTA

   Em  reunião  no  dia  09/08/2009,  nossa diretoria aprovou :
   MÚSICA,  CANTO,  ARTES PLÁSTICAS, também  farão
   parte  da  CASA  DO  POETA  DE  CAMPINAS.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

JULHO - 2009 - LEVY

FLÁVIO  de  AZEVEDO  LEVY

A  MAR

Levanta, quebra, força e arrebenta,
Eu estarei tranquilo à tua espera
E sabedor de ser uma quimera
Tua forma transformada e violenta.
      Venha ! Que ao dissipar desta tormenta
      Verei a inexistência de uma fera
      E uma paz que sobrevive a guerra
      No fundo de tua face desatenta.
Posso escutar teu coração bramindo
Ao ver minha figura te sorrindo
Nos mandos e desmandos das marés.
      Na praia o nosso encontro vai ser lindo
      A tua força bruta se exaurindo,
      E em arrepio, um beijo nos meus pés !

domingo, 12 de julho de 2009

JULHO - 2009 - MIRIAM MIATTO

MIRIAM  B. de  CARVALHO  MIATTO

CANTIGA  PARA  ARMANDINHO

Meu menino
Vou lhe fazer um poema,
Ou melhor, uma cantiga de ninar:
Durma, durma tranquilo como um anjo,
Durma sorrindo.
Sonhe, sonhe bonito, sonhe menino,
De empinar papagaios de estrelas
Sonhe que é nuvem a se deixar levar pelo vento,
Sonhe de brincar de esconde-esconde com a lua.
Sonhe de correr pelo infinito.
Sonhe que é perilampo ou estrela cadente
A riscar a escuridão do céu.
Sonhe que é pomba branca que vai voando alto
Até pousar nas mãos de Jesus.

domingo, 21 de junho de 2009

JUNHO - 2009 - MARILZA

MARILZA  PEREIRA  CALSAVARA

L Á G R I M A

Escondido numa folha,
encontrei um brilhante a cintilar...
Quando o toquei, ele caiu,
e o pássaro dos sonhos,
levou-o pelas alturas a brilhar,
não consigo reconquistá-lo,
tão longe de mim ficou...
Era uma lágrima cristalizada,
pelo luar do sofrimento,
lágrima sincera e amorosa,
de um eterno amor...

segunda-feira, 18 de maio de 2009

MAIO - 2009 - J. RODRIGUES

JOSÉ  BENEDITO  RODRIGUES

TEU  OLHAR

Teu olhar e teu sorriso
São como o sol do amanhecer
É tudo que preciso
Para encantar meu viver
      É sonho que se tem sem dormir
      É alegria sublime que se espraia
      Que se recebe sem pedir
      Como as ondas que batem na praia
É calor que se recebe e se dá
No vai e vem de nossa vida
Sem encontrar o motivo que há
Em toda a alegria recebida
      O olhar se desprende e norteia
      Cada momento encantado da idade
      Iluminando tudo que o rodeia
      Com a força imortal da felicidade.

sábado, 25 de abril de 2009

ABRIL - 2009 - J.DRUMOND

JOSÉ  DRUMOND  de  OLIVEIRA

P E C A D O

Insertos em minha alma a tua voz e o riso
Levam meus passos, vão, qual minha estrela-guia,
Moldando o meu destino, a florir toda a via,
Querendo ser à noite o sonho que eu preciso.
    Imagino que vens e qual menino eu friso,
    Carinhoso e com zelo, ansioso, esta alegria.
    Orações já por mim não faço - e quem diria !-
    Construo meu paraíso a partir do teu viso.
Padecendo, a ninar, à noite, a minha insônia,
Esquecido de tudo, absorto em meu caminho,
Gostaria de estar contigo, e só, eu choro.
    Amo-te até dormindo. E na ilusão errônea,
    Amanhecendo o dia, ao despertar sozinho,
    Antes de me lembrar de Deus teu nome eu oro !

quinta-feira, 5 de março de 2009

MARÇO - 2009 - CARIS


CARIS  GARCIA

O  BALANÇO

Jamais deveríamos parar de balançar
As recordações do vento que agitava os cabelos
as cordas que nos faziam tocar o céu
a brincadeira que nos levava de lá para cá.
    Por vezes imaginávamos que quase podíamos voar
    impulsionávamos nosso corpo para frente e para trás
    e pensávamos em como é gostoso apenas balançar
    somos crianças crescidas que apenas esquecemos
    das lembranças divertidas do ato de brincar.
Dormíamos sonhando que no outro dia
o balanço estaria novamente à disposição
corríamos a sentar na madeira colorida
que ficava quase perto do chão
e que estava prestes a balançar
gratuitamente a nos levar
ao encontro do sol, do tempo e do ar.



domingo, 22 de fevereiro de 2009

FEVEREIRO - 2009 - SÍLVIA ROCHA

SÍLVIA  MARIA  ROCHA

AMOR  QUE  ACALMA

Não há necessidade de palavras
É só ficar assim desse jeito.
Lembras quando não falavas
Pousavas a cabeça ao meu peito.
      Caminhavamos lado a lado,
      Eu seguia teus passos
      Tinhas a felicidade encontrado
      No aconchego dos teus braços.
Lembras quando foi embora assim
Eu não consegui entender
Morreu algo dentro de mim
Deixei minha vida se perder.
      Agora te encontro aos prantos
      Sentindo teu mundo desabar
      Vejo o olhar dos meus encantos
      No meio da vida, deixar-se levar.
Veja como a vida joga
Mesmo na dor, te perdoei
Assim terás de volta
Todo amor que eu guardei.
      Agora não digas nada
      Eu sempre sonhei algo assim
      Pousa teu rio de mágoas em mim.

domingo, 11 de janeiro de 2009

JANEIRO - 2009 - AGMON

AGMON  CARLOS  ROSA

ÁGUAS  QUE  VI  PASSAR...

Cantava o rio com voz plangente,
melodiosa, agucei os ouvidos...
A voz ressoava cheia de saudades.
Olhava as águas e na corrente vi
meu pai, meus amigos, eu mesmo,
ainda criança, ainda feliz !
      Águas que vi passar,
      eu as vi sempre ali, vertentes,
      sabia que nunca iriam parar.
      Não me preocupava a pressa da corrente
      formada por mim, pelos meus, por
      todos aqueles que a tinham deparado.
Águas que vi passar, carregadas
de sonhos, em busca de suas metas,
as cataratas, o lago, o mar,
uma a uma elas as alcançava...
      Das águas formava a bruma
      que subia ao céu, transformando-se
      em chuva, a cair das alturas.
      Virava regato, virava rio, fluia
      de novo ás suas metas.
      Outra vez repetia a jornada...
Águas que vi passar,
Águas que me banhei...
(porque não as represei !)
Seria ainda criança,
Seria  de novo feliz !