convite sarau de agosto

convite sarau de agosto

quinta-feira, 31 de março de 2011

MARÇO - JEHOVAH

JEHOVAH  BRAZ  DO  AMARAL

T E M P O R A I S

Sempre que à distância algum trovão atroa
e sonoplastia a alguma chuva algures
localizar o ruído é se tentar à toa
é em vão que avidamente os céus procures.
      A luz precede o som que ora ressoa
      e já o corisco serpenteara alhures
      só após relâmpagos, a trovoada ecoa :
      pelo barulho não temas e nem murmures.
Por isso quando os céus se iluminarem
porque faíscas as nuvens vergastarem :
passa a admirá-los sem temores mais.
      O relâmpago é de Deus luz e beleza
      uma festa, quando está a natureza
      com flashes retratando os temporais.

terça-feira, 22 de março de 2011

MARÇO - DURVAL

DURVAL  OTERO

D E U S

Presente Vós estais eternamente
aqui neste lugar e em todo espaço,
para nos vigiar, bondosamente
nos proteger e dar o Vosso abraço,
      para nos atender benevolente,
      diminuir o peso do cansaço
      e fazer germinar toda semente
      boa de cada lugar, cada pedaço.
Embora o livre arbítrio tenhais dado,
quereis cada soldado Vosso seja
mais um a combater o mal plantado,
      e que não cresça todo joio mau,
      mas sim a boa semente benfazeja,
      para termos um mundo sem igual.

domingo, 20 de março de 2011

MARÇO - AGENOR

AGENOR  SANTOS  GONÇALVES

ELO  PARTIDO

Truncaste os nossos laços sem piedade,
Tanto de amor como de amizade, sim.
O amor é luz divina, é claridade
Que não se ofusca tão bruscamente assim.
      Na febre dos teus beijos, com ansiedade
      Devolvo tudo que foi teu, enfim;
      Viva pois, tua altivez e autoridade
      Já que condenaste nosso romance ao fim.
Nas brumas do marasmo do momento,
Mágoas de ausências me indagam o pensamento
Por aquilo que não fiz, que não pequei.
      Mas já que nada existe entre nós dois,
      Por Deus te suplico, devolver-me, pois,
      Ao menos um dos beijos que te dei.

quinta-feira, 10 de março de 2011

MARÇO - J.ROBERTO

JOSÉ  ROBERTO  TEIXEIRA

BRINCADEIRA  DE  POETA

Brincar de ser poeta eu adoro,
Conto estrelas toda noite,
Vejo a lua,
Às vezes de saudade até choro,
Buscando na lembrança a imagem tua.
      Ao fugir da poesia que me invade,
      Tento não sofrer,
      Mas a saudade,
      Ainda traz a tona  a imagem tua.
Joguei fora a ilusão, me convenci,
Que não foi apenas aventura
O que eu vivi.
Mas a realidade chega, me acorda
E eu tento fugir de ti.
      Brincar de ser poeta eu adoro,
      Conto estrelas toda noite,
      Vejo a lua.
      Às vezes de saudade até choro,
      Buscando na lembrança,
      A imagem tua.

terça-feira, 8 de março de 2011

MARÇO - LEVY

FLÁVIO  LEVY

PENSAMENTOS  SANTOS

Santos está no plural
Não é atoa, pra mim,
É a jóia do litoral
Com um belo e imenso jardim.
      É uma vantagem real
      Quem em Santos tem seu fim,
      Cemitério é vertical
      E o céu não é longe assim.
Mas enquanto não ocorre
O fim e a gente não morre,
Lá vou viver, boto fé !
      Pois neste jogo da vida
      Em minha Santos querida
      Me sinto como um Pelé !

domingo, 6 de março de 2011

MARÇO - ANDRÉ

ANDRÉ  PEREIRA  DOS  SANTOS

PRESENTE  DE  DEUS

Era tarde de junho ( 18/2005, precisamente )
Quando Deus veio e me disse: "O presente é seu".
Assim, graças a Deus felizmente,
Um presente inolvidável, Ele me deu.
      Pensava: "Mereço será tão divino presente,
      Um simples e reles mortal como eu ?"
      Não poderia saber nem o mais louco crente,
      Mas sabia agora, que lindo presente era meu.
Aquele rosto de cetim, tímido e belo
Que ao meu encontro me causava forte anelo,
Aquele rosto de negra e cintilante tez,
      Naquela tarde de sábado sem sol, nublada
      Em volta daquela lagoa com água estagnada,
      Naquele dia em que a beijei pela primeira vez.

sábado, 5 de março de 2011

MARÇO - 2011 - J. RODRIGUES


JOSÉ  BENEDITO  RODRIGUES

ALTAR  DE  ROSAS

Você surgiu de repente
Com esse jeito encantado de ser
Com olhar seguro a frente
Mostrando a virtude de querer
      Com a força encantada da visão
      Comanda cada gesto de teu corpinho
      Escondendo com sabedoria a emoção
      Que te acompanha ao longo do caminho
A alegria exala em cada sorriso
Que se desprende com facilidade
Alcançando o momento preciso
Com o auge da felicidade
      O som da voz paira no espaço
      Como a melodia de um pássaro no cantar
      Dividindo com ternura cada compasso
      Na beleza eterna da luz do luar
No contato terno de nossas mãos
O nosso próprio corpo floresce
Acompanhando o pulsar do coração
Que a gente jamais esquece
      Este foi um encontro divino
      Ao som encantado de uma prosa
      Como as badaladas de um sino
      Como um altar repleto de rosas.

quinta-feira, 3 de março de 2011

MARÇO - MARILZA


MARILZA  PEREIRA  CALSAVARA

PRIMAVERA

Ele veio com a primavera,
Como um raio de sol
Iluminando o meu jardim,
Com ramos secos no bico,
Pequeno arquiteto da natureza.
      Com ele, as cores da primavera
      Chegaram na minha casa,
      Floriram o meu jardim,
      Encheram meu coração.
E o pequeno arquiteto
Costruiu o seu ninho,
Nos beirais do meu telhado,
Entre rosas e hibiscos.
      Um passarinho, grande ou pequenino,
      Fez ninho no meu jardim.
      A primavera fez morada em minha casa.
      O amor fez ninho em meu coração...

MARÇO - DULCINÉA


DULCINÉA  B.  LIMA  MARCHIORI

AMOR  SEM  FIM

Se um de nós dois se for e, de repente,
O que ficar se consumir de dor,
Leia estes versos, feitos docemente,
Pela memória de um eterno amor.

      Rompeu-se o laço que envolvia a gente
      No mesmo ramo e até na mesma flor, 
      Não serei rosa a te esperar contente
      E nunca mais serás meu beija-flor.

As poesias que fizemos juntos,
Nossas viagens e sutis assuntos,
Foram motivo de felicidade.

      Mas, no bailar da rima mais bonita,
      O que ficar há de encontrar escrita
      Toda a beleza infinda da saudade !

quarta-feira, 2 de março de 2011

REUNIÃO - FEVEREIRO - J.D.OLIVEIRA

JOSÉ  DRUMOND  DE  OLIVEIRA

D E S E J O

PAZ, oh noiva dileta, oh, silencioso canto,
NAtureza do Humano ansiada onde ele esteja !
TERna luz que ao amor estende o claro manto;
RAra canção que Deus em segredo solfeja.

AOS anjos graça e Luz emprestas. E esses, tanto
HUmanizados vêm ao mundo que ora almeja
MAravilha maior: o teu sublime encanto;
NOSsos risos: o afã em teu seio sobeja.

DEus Cristo, O Filho amado, evocava, em criança,
BOrdando com o olhar as vestes da esperança,
Adornadas de amor o teu fruto vivaz.

VONtade seja feita: o humano cante em breve
TAl qual anjos no Céu o canto manso e leve
DE tua essência em Deus, oh, desejada paz !

terça-feira, 1 de março de 2011

REUNIÃO - FEVEREIRO - MARLI GASPAROTO


MARLI  FRANCISCO  DOS  SANTOS  GASPAROTO

R E E N C O N T R A R

Como é difícil entender
Um sentimento... O humano.
    Ora se enche de luz,
    ora de tédio e cruz,
    ora sem credo, sem medo.
    Ora com medo, sem certeza.
Por quê? Oh! Meu Deus,
não fizeste no mundo,
só paz e amor.
    Talvez para mostrar
    que, com sua sabedoria,
    pudéssemos nos encontrar,
    reencontrar e amar. 

REUNIÃO - FEVEREIRO - ADELINA

ADELINA  CARDOSO  DE  SÁ

A  NATUREZA

Deus criou a natureza, com uma grande perfeição
Mas o homem quer mudar, essa antiga tradição
Mexendo aonde não sabe, destruindo a criação.
      Se os homens compreendessem
      Os mistérios da natureza
      Todos viviam felizes
      Contemplando essa beleza
Deus criou o mundo assim
Conforme ele queria
Deu voz aos passarinhos
Para louvar o seu nome
Com amor e harmonia
      O homem também ganhou
      Essa linda formação
      Deus deu a sabedoria
      Para cantar em voz alta
      Um cântico com alegria
Para o homem que tem alma
Deus deixou essa missão
Conserva a vida do próximo
E não matem a criação
      A natureza foi modelada
      Pelas mãos do criador
      Não mudem essa perfeição
      Que foi feita com amor.