sarau de aniversário

sarau de aniversário

sábado, 28 de julho de 2012

Queria Ser Pedra - Dalva Saudo




Queria ser uma alta pedra
No rio, mar ou na beira da estrada!
Pedra aeroporto de pássaros
Que pousariam em meus recantos
Alegrando-me com seus cantos.

Queria ser...
Pedra cartão postal de alto astral
Uma Pedra celebridade, sem idade,
Visada, fotografada
Com tema musical de coral 


Bem-te-vi! Bem-te vi!!!!!
Bem-te-vi!

Seria uma rainha
Não me sentiria tão sozinha
Não mostraria meu pranto
Nem meu desencanto!

Dalva Saudo

quinta-feira, 26 de julho de 2012

APARÊNCIAS - LAÍS RODRIGUES DE LIMA




 
Fiz, certa vez, viagem de avião
Que me deixou consciente da verdade
Tudo é aparência, sonho ou ilusão
Neste mundo de tanta escuridade.

Bem acima das nuvens, um clarão
Lembrava a eterna Luz da Divindade;
Espargia alegria e a emoção
Nos dava bem-estar e amenidade...

Porém, quando o avião aterrizou,
Que contraste brutal, tudo mudou:
Havia no local densa neblina!

E agora, ao contemplar o ser humano,
Seja ele bom ou mau, jamais me engano:
-  Bem dentro dele eu vejo a Luz Divina!

Laís Rodrigues de Lima

terça-feira, 24 de julho de 2012

POEMA DA MANHÃ - ROSANA MONTERO CAPPI




Abro a janela,como se fosse a do coração,
Olho para o alto e na mente vem uma canção.
Ao ver o lindo céu azul, sem nuvens,
Meu peito se enche de emoção.

Como sentir tristeza diante dessa imensidão!
Ao sair de casa, o brilho da luz solar
Acompanha meu caminhar,
E suas inúmeras formas, passa a demonstrar.

Chegando no bosque,um sabiá está a me esperar.
Ouço seu trinar, vindo de uma árvore tão alta
Que meus olhos nem conseguem alcançar.

Tento a ave vislumbrar,
E me deparo com o imenso bambuzal    
Que outro espetáculo quer me apresentar.

Por entre seus grossos e enormes galhos,
Os raios do sol insistem em passar,
Fazendo a bruma da manhã
Aos feixes de luz se misturar.

Paro sob esse holofote colossal,
A me iluminar no palco desse show natural.
Que privilégio ser eu, o foco desta encenação!

Então, com humildade,
Imito o bambu que me ensinou  virtuosa lição,
Diante à gratuita demonstração,
Eu me curvo, com cerimônia e gratidão! 


Rosana Montero Cappi

sexta-feira, 20 de julho de 2012

SANTO CASAMENTEIRO


Santo Antônio, hoje é seu dia. Já se passô um ano que fiz a promessa, mas não posso pagá, pois ainda tô sozinha.
Meu Santo, não deu nada certo, fiz até simpatias.
Não deu certo com João, pois o safado era casado.
Com o Zeca então, que decepção! Parecia tão bão, mas não tinha com eu boa intenção.
Meu santinho, que tem de errado com eu? Será que sô tão feia assim? Não sô balofa, nem magra, mas sei inté escrevê meu nome.
De trabaio eu entendo, sô cozinheira de mão cheia, lavo, passo, sei cuidar da casa. Queria achar um marido bão.
Não espero um príncipe encantado, nem moço rico, fazendeiro que tenha carrão. Pode sê branco, preto ou mulato, quero um homem de verdade, puro de coração.
Santo Antônio, já não sou mocinha, por que tenho que ficá encaiada? Não nasci meu Santo, prá vivê sozinha. Quero tê meu home, casá, tê fios, não quero ficá pra titia.
Nesta noite tão bonita, meu coração é como um balão, vagando solitário no céu todo estrelado.
Santo Antônio, tenho pro cê grande devoção. Tá de pé minha promessa, é o Santo Casamenteiro, por favô, arranja prá eu um amô de verdade.

Miriam Brasilino de Carvalho Miatto 




domingo, 1 de julho de 2012