segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Contemplando o Infinito - Gení Fuzato Dagnoni




Oh! Iluminado, o céu como um veludo
Escuro, tendo furos reluzentes,
São estrelas, tal qual cristais, pingentes,
Sem nuvens, na amplidão seu grande escudo.

Cintilantes no espaço, mas contudo,
Nas infinitas veredas vão salientes; 
Asilo de segredos, sonho, e tudo.
Há poeira de estrelas resplandecentes.

Quero caminhar sob teu clarão
Estrela, darei meu beijo invisível, 
Com prêmios, amor e admiração. 

Vou te esperar estrela prometida,
Através do infinito, indescritível,
Sê meu guia, até além da vida.

Publicado na Antologia A Voz da Inspiração VI (2014)
da Casa do Poeta de Campinas  

Gení Fuzato Dagnoni
 

Um comentário:

  1. Geni,
    meus mais sinceros parabéns pela sua linda poesia.
    Um grande abraço
    Eunice

    ResponderExcluir